Todo não é um sim

532
Todo não é um sim

Antes de começar, quero fazer quatro considerações:

Sim, sou uma pessoa otimista.
Não, não estou de brincadeira.
Sim, eu acredito nisso.

Não, não é um novo clichê ou fórmula mágica.
As polaridades existem para equilibrar e harmonizar. Feminino e masculino, frio e quente, claro e escuro, escassez e excesso, razão e emoção, bem e mal, sim e não. O que não significa que uma seja melhor que a outra, mais positiva ou negativa.

É claro que nós gostamos daquilo que consideramos bom, logo, ficamos incomodados em sermos negados, em receber um não ou uma crítica. Seja no pessoal ou no profissional. E muitos não encaram a situação numa boa, explodem em raiva, ficam deprimidos ou desmotivados.

Em janeiro de 2016, eu decidi entrar em contato com 50 pessoas por email. Fiz a lista, separei informações, preparei o conteúdo e disparei. Durante o processo, na minha mente apenas um mantra: “Todo não é um sim. Todo não é um sim”.

Veja, cada pessoa que não me respondeu ou que respondeu com uma negativa me poupou um enorme trabalho. E isso para mim é um sim retumbante. Sim para a atenção que vou dar a quem me respondeu, sim para manter o foco na demanda gerada, sim para o tempo que poderei desenvolver outras atividades, sim para cuidar de mim, sim para tudo que farei com calma, sim para as próximas 50 pessoas com quem pretendo conversar.

Outro dia ouvi em uma palestra, sobre a inspiração de grandes líderes, que algumas vezes as coisas não saem como queremos ou planejamos porque é a vida nos protegendo daquilo que ainda não temos condições de lidar. Pode ser que sim.

O fato é que está em nossas mãos decidir se vamos nos abalar perante as adversidades e diferentes pontos de vista ou se vamos sobrepujar nossos medos e desafios em busca de uma vida equilibrada.

Então, como dica, respire profundamente perante uma negativa, acalme seu coração e pense no lado bom da situação. Essa atitude pode desencadear em criatividade, organização, redução da procrastinação, motivação e tranquilidade.

Não acredite em mim. Experimente! #tamojunto

[Texto adaptado do original escrito para a Coluna “Networking e Inteligência Emocional” do Grupo Gente que Empreende, edição 28 de janeiro de 2016]

COMPARTILHAR
Raquel Rodrigues
Educadora Emocional, escritora, palestrante, facilitadora e networker por vocação. Atua como Promotora de Encantos na "Forma Encantada Treinamentos com Propósito" para ajudar pessoas a desenvolver Inteligência Emocional, Networking e Relacionamento.