Sete passos fundamentais para superar a crise

371

Por Ronaldo Bianchi

O assunto do momento que atormenta pequenas e grandes empresas é a crise que assola nosso país. É possível superá-la, porém devemos ficar atentos a alguns pontos, para saber se estamos no caminho certo.

1 – Competividade: O primeiro ponto a ser percebido é se a empresa está competitiva. Se fizer caixa positivo é um bom sintoma. Caso contrário, corra atrás para reduzir custos e aumentar vendas com margem de lucro. Não adianta faturar sem olhar o crédito do cliente. Não fature para cobrir o banco ou para manter a equipe ocupada. Vender com prejuízo, como vender para caloteiro é suicídio.

2 – Faça um orçamento e um fluxo de caixa: Se não sabe, procure alguém que saiba e controle seu fluxos. Qualquer um precisa de relógio para saber as horas. Realizar um balizamento correto para se encaixar bem no mercado é fundamental. Vender com lucro e o necessário para sobrar dinheiro. Não gaste, poupe.

3 – Falso otimismo: Não acredite que as coisas irão melhorar baseado em promessas de governo ou da sua gerência de vendas. Se você acredita no otimismo de vendedor estará comprando uma dose de amargura.

4 – Redução de custos: Se precisar mudar a equipe e reduzir custos faça rápido e de preferência de uma vez. Não deixe a empresa sangrar e os colaboradores inseguros começarem a fazer as apostas de quem será o próximo. Ou pior, quando a firma “abrirá o bico”.

5 – Não contrai dívidas em bancos: Venda bens e propriedades. Se não as possui, é uma má notícia. Precisará ter muita eficiência em sistemas e eficácia no portfolio de produtos para superar a crise. Aplique-se, pode dar certo.

6 – Acredite na sua intuição: O que acredita que dará errado tenha certeza, dará. Então, só faça no que acredita que dará certo. Quando for, vá com alma, corpo e mente. Vá inteiro.

7 – Faça as contas de cada produto ou serviço de sua empresa: Elimine sem dó o que não rende. Demita quem precisar demitir. Invista nos produtos e serviços com margem positiva. Na crise o que é ruim não melhorará.

 

RONALDO BIANCHI 

Diretor da Bianchi & Associados, Conselheiro: no Coinfra da FIESP e na Revista Interesse Nacional. Formado em Administração Pública pela FGV, com MBA Executivo Internacional pela FIA-USP, Mestre em Administração pela PUC-SP e Conselheiro certificado pelo IBGC. Foi Diretor Executivo da OS Pensarte (2012-2013), Sócio da Animus Consultoria ( 2012 a 2013), Vice-Presidente de Gestão da TV Cultura (2010 – 2012), Secretário Adjunto do Estado da Cultura em São Paulo (2007 – 2010), Superintendente Geral do Museu de Arte Moderna de São Paulo (1998 – 2006), Vice-Presidente do Itaú Cultural (2001 -2006), Gerente Administrativo do Memorial da América Latina (1997-1998). Foi também Presidente da Comissão de Organizações Sociais da Secretaria de Estado da Cultura em São Paulo, membro do Comitê Gestor de Museus do IPHAN; Comissão de Análise de Projetos Culturais da Secretaria Municipal de São Paulo. Fez parte dos Conselhos Estadual da Cultura de São Paulo, Emplasa (Empresa de Planejamento Metropolitano S.A.), do IPT (Instituto de Pesquisa Tecnológica), FDE (Fundação de Desenvolvimento da Educação) e da Organização Social São Paulo Leitura, SESI São Paulo.

Foto divulgação: datasystemnet