Marketing pessoal: sua marca única e intransferível

103

“Se você não se valoriza, qualquer um pode lhe dar um preço baixo”

Nando Gaspar

Parte I
Quantas vezes falamos sobre marketing pessoal? Quantos cursos já participamos? Quantos textos já lemos ou quantas vezes discutimos esse assunto? E é justamente por isso, que antes de entrarmos na parte técnica – técnicas de persuasão – gostaria de fazer uma reflexão sobre:

Sim, Marketing Pessoal é importante. Sim é essencial. Estamos falando de relacionamento humano. Estamos nos referindo ao dia a dia. E se por acaso você nunca parou para pensar dessa forma, eu posso lhe explicar melhor, é simples, vamos para uma situação hipotética:

Você vai ao supermercado comprar uma pasta de dentes. Quando entra no local, encontra um lugar limpo, bem organizado, com sessões de compras bem definidas. Quando chega na gondola, fica em dúvida em relação ao produto. Então, encontra um funcionário e o questiona sobre, ele lhe atende prontamente, com educação e com uma comunicação direta e agradável.

Quando você chega no caixa, ao contrário do que aconteceu anteriormente, você não é bem atendido. A pessoa a sua frente é ríspida, confusa e ainda registra seu produto errado. Você fica chateado, sem entender como no mesmo local pode ter tido dois tipos de atendimentos tão dispares, como um estabelecimento comercial tão conhecido pode ter contratado esse tipo de gente sem preparo e etc e etc.

Agora, vamos analisar a situação: como cliente, como o RH do supermercado e como o funcionário.

Cliente – Você está pagando por um produto, está em um lugar conhecido e quer ser bem atendido. Você não está pagando barato! Quais valores estão sendo passados a esses funcionários?

RH – Você contratou pessoas de acordo com os valores da instituição. Fez um processo seletivo e os melhores preparados passaram e foram contratados.

Funcionário – Você precisava de um emprego, para seu sustento, para manter sua família, para estudar, ou seja, de acordo com a sua necessidade. Você se preparou para a entrevista, se esforçou ao máximo, foi contratado. No treinamento, se identificou com os valores da instituição que correspondiam com os seus.

Valores – Relacionamento humano envolve valores. Marketing pessoal envolve relacionamento humano e valores. Então eu posso lhe dizer que Marketing pessoal é atribuir valor a sua imagem, posso também dizer que é respeitar e atribuir valores ao seu modo de trabalhar: é uma ferramenta de valorização do ser humano em todos os seus atributos e características.

Engana-se que apenas divulgar uma imagem seja suficiente. É necessário sermos pessoas melhores, agregar valor a nossa marca pessoal, nos conheceremos como pessoas, sabermos o que queremos, onde queremos chegar, identificar nosso propósito de vida.

Se não soubermos ir a fundo em nosso propósito, um dia, por qualquer stress, por qualquer infortúnio, seremos igualzinho a caixa do supermercado que mesmo tendo passado por um processo seletivo, tendo atendido as expectativas da empresa naquele momento e por tantas outras vezes, ter dado um ótimo atendimento, por causa de um único dia, um só, pode ser desligada do seu trabalho.

Por causa de um único dia, ou de outros tantos sem paciência, sem consciência do seu papel, sem ânimo para o trabalho, você pode simplesmente perder seu emprego. Se for um empreendedor, pode perder para sempre seu cliente. Por isso, eu te desafio pensar: o que você quer da sua vida? Qual o seu propósito? Quais são seus valores?

Quando temos claramente o que queremos, nos esforçamos ao máximo em absolutamente tudo o que fazemos. Vivemos atualmente em um momento onde não podemos vacilar nem por um segundo. Valorizar nossa imagem pensando na gratidão e no valor que temos que dar ao trabalho que temos. Se o local ou a sua empresa, já não condiz mais com o que você busca, é uma outra história (um outro tema a ser tratado).

Bem, depois de poder compartilhar com vocês minha visão diante do que é Marketing Pessoal, vamos partir para as questões mais técnicas.

 

 

 

 

 

COMPARTILHAR
Nando Gaspar
Nando Gaspar é empreendedor desde muito cedo. Sempre disposto a conversar sobre ideias, fundou a Conexão Empreendedora com o mesmo intuito: construir uma plataforma de produtos com uma nova visão de aprimoramento para os empresários construírem seus negócios de forma lucrativa e sustentável. É formado em Publicidade com Especialização em Marketing e diversos outros cursos na área Empreendedora pelo Sebrae e EPA. Atuou em agências de publicidade com estratégias de comunicação corporativa e durante anos geriu grupos de networking. É CEO da Studio Doze Comunicação - a empresa trabalha com ambientação, fachadas e design visual -, e da Studio Office - espaço coworking e virtual.