Com Pelé em anúncios, Subway passa McDonald’s em número de lojas no Brasil

385

A rede de fast-food Subway passou o McDonald’s em número de unidades em operação no Brasil e assume a liderança do segmento no país. A rede já é líder mundial desde 2011. A diferença no país é pequena: Subway informa manter 1.817 unidades, contra 1.777 do McDonald’s, segundo dados atuais das franquias. As duas redes são norte-americanas.

A brasileira Bob’s é a terceira maior franquia do ramo no país, com 1.134 pontos de venda em funcionamento, segundo a empresa.

A virada foi verificada em 2014, após a rede Subway contar com Pelé como garoto-propaganda, o lado do ex-nadador Michael Phelps. O dado aparece no ranking das maiores franquias em número de unidades divulgado pela ABF (Associação Brasileira de Franchising) em fevereiro.

Segundo a ABF, o McDonald’s perdeu posições não apenas entre as redes de fast-food, mas também entre todos os segmentos de franquias, caindo do terceiro lugar geral para o sexto no ano passado.

A lista, embora leve em consideração os dados informados pelas redes até o fim de 2014, não expõe o total de unidades de cada uma, apenas a posição comparativa entre elas (veja abaixo). O número de unidades foi informado ao UOL pelas próprias redes.

O Boticário é a maior rede do país

A líder absoluta entre as franquias do país é a rede de perfumes e cosméticos O Boticário, com 3.710 pontos de venda em operação até o fim de 2014. A marca lidera a lista desde o início de sua divulgação, há cinco anos.

Na segunda colocação está a escola de idiomas Wizard, que subiu seis posições no ano passado, desbancando a Colchões Ortobom, que aparece em terceiro. A Wizard, no entanto, não informou o número de unidades. Já a Colchões Ortobom informou que fechou o ano com 1.926 lojas em funcionamento.

Franquias grandes têm menos opções de pontos novos

As franquias que integram o “top 20” são marcas consolidadas, o que reduz o risco de o negócio fracassar, segundo Lucien Newton, diretor-executivo da consultoria Anewton Franchising. “Os produtos e serviços dessas empresas já são conhecidos e desejados pelo público. São negócios que já passaram por testes de aceitação”, diz.

No entanto, o consultor diz que a estrutura de gestão das grandes franquias é menos flexivel e não abre muito espaço para a criatividade e inovação do franqueado. “São modelos mais engessados e indicados para quem tem mais perfil seguidor de regras”, afirma.

Novos franqueados também podem ter dificuldade para investir nelas, já que algumas marcas oferecem poucas opções de pontos. “Já há franqueados atuando nos maiores e melhores mercados.” A saída, segundo ele, tem sido a expansão para cidades do interior. “Nesse caso, o franqueado, provavelmente, terá de se mudar para acompanhar o negócio de perto”, declara.

Franqueador novato encontra barreiras

Entrar para uma rede que possui grande número de lojas é mais difícil para quem quer investir pela primeira vez em uma franquia, de acordo com Lyana Bittencourt, diretora de marketing da consultoria em franchising Grupo Bittencourt.

“A expansão das redes é feita, preferencialmente, por franqueados que já têm unidades da marca e já conhecem o negócio”, afirma. “Isso reduz o risco para a franqueadora porque esse franqueado já provou que é capaz de trazer resultados.”

A consultora diz, ainda, que as franquias costumam dar preferência ao franqueado que já atua em uma determinada região quando pretendem abrir outra unidade próxima. “É uma forma de evitar que um franqueado concorra com outro da mesma rede.” O mesmo acontece quando a empresa decide abrir um segundo ponto dentro de um shopping, segundo a especialista.

Veja o ranking da ABF das maiores franquias em número de unidades:

1º: O Boticário (perfumes e cosméticos)
2º: Wizard (escolas de idiomas)
3º: Colchões Ortobom (lojas de móveis)
4º: Cacau Show (chocolates)
5º: Subway (fast-food)
6º: McDonald’s (fast-food)
7º: Am Pm (lojas de conveniência em postos de gasolina)
8º: Kumon (reforço escolar)
9º: Jet Oil (serviço de troca de óleo)
10º: Bob’s (fast-food)
11º: BR Mania (lojas de conveniência em postos de gasolina)
12º: Nosso Bar (venda de bebidas e petiscos)
13º: Correios (serviço postal)
14º: Fisk (escolas de idiomas)
15º: CVC (agências de turismo)
16º: Dia% (supermercado)
17º: Óticas Diniz (comércio de óculos e lentes)
18º: Óticas Carol (comércio de óculos e lentes)
19º: CCAA (escolas de idiomas)
20º: Hering (vestuário)
Fonte :http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2015/03/20/subway-passa-mcdonalds-em-unidades-no-brasil-e-lidera-redes-de-fast-food.htm
COMPARTILHAR