Cinco passos para você ser mais criativo, segundo um dos maiores inovadores do mundo

321
Tom Kelley participou de um evento na Northwestern University, em Chicago (EUA), nesta semana

Por : Ligia Aguilhar

O que você faz quando precisa encontrar uma solução criativa? Escolhe a primeira e mais fácil alternativa que vier à cabeça? Ou insiste em tentar entender o problema e em buscar uma solução fora da caixa?

Acredite se puder, mas apenas 25% das pessoas acreditam estar exercendo todo o seu potencial criativo. Esse foi o resultado de uma pesquisa realizada pela Adobe com 5 mil adultos. O dado foi citado em uma palestra do especialista em inovação Tom Kelley, que assisti nesta semana, em Chicago.

Kelley é um dos inovadores mais respeitados em todo o mundo. Ele é autor do best seller A arte da inovação e gerente-geral de inovação da IDEO, a empresa de design mais famosa do Vale do Silício – e que foi fundada pelo irmão dele, David Kelley. A IDEO é conhecida por promover o conceito de “design thinking”, um método para inovação e solução de problemas de forma criativa focado no consumidor.

Em sua palestra, Kelley cita os principais passos para qualquer pessoa tornar-se mais criativa. Segundo ele, não existe ninguém incapaz de ser criativo. Você se lembra de quando era criança e toda hora inventava algo novo? Kelley afirma que você não perdeu essa capacidade, apenas precisa aprender a desbloquear o seu potencial criativo.

Confira as dicas de David Kelley:

1. Escolha ser criativo
Kelley cita o pesquisador Robert Sternberg, da Universidade de Yale, que estudou criatividade por 30 anos e identificou que todas as pessoas conhecidas por serem muito criativas escolheram ser criativas em algum momento. “Se você quer ser extraordinário, pare de se comportar de forma ordinária”, diz Kelley. O problema, segundo ele, é que ao nos tornarmos adultos, o “modo criativo” deixa de ser padrão no nosso cérebro. Escolher a criatividade conscientemente é a forma de criar a coragem necessária para tomar os próximos passos rumo à criatividade. Sim, porque todos sabemos, conseguir apoio em uma empresa ou da família, por exemplo, para executar uma ideia inovadora e inesperada, não é lá a coisa mais fácil do mundo. Não desista! Escolha o caminho mais criativo.

2 . Capture suas ideias
Seja em um caderno ou no celular, anote as ideias que passam pela sua cabeça. Não importa o quanto elas pareçam bobas ou insignificantes inicialmente. A sua memória recente é curta, diz Kelley, e é anotando que você será capaz de guardar algumas ideias que não fazem sentido inicialmente, mas podem gerar associações inesperadas e ideias originais no futuro. Dê uma chance para as suas ideias mais malucas. E tenha sempre algo onde anotar suas ideias perto de você. Às vezes, o seu momento mais criativo no dia pode ser enquanto está no transporte público ou naqueles 5 minutinhos a mais que você fica na cama depois que o relógio desperta pela manhã.

3. Aprenda a se distanciar dos problemas
A melhor forma de encontrar uma solução criativa quando você está envolvido em um problema é, ironicamente, se distanciar do problema que você deseja resolver. O segredo para fazer isso é tentar pensar no problema em um outro contexto. Imagine como você resolveria o problema se fosse outra pessoa. Ou daqui a dez anos. Ou se estivesse em outro País. Só de pensar no problema em outro contexto, com alguma distância mental, você será capaz de gerar ideias mais rapidamente, garante Kelley, que já testou o método centenas de vezes na IDEO. Na hora de pensar nas soluções, diz ele, não esqueça também de sempre questionar o status quo.

4. Quando o problema for desconhecido, tenha empatia
Quando em vez de muito próximo, você se sente muito distante do problema, a chave para encontrar uma solução criativa é exercer empatia. Se coloque no lugar de outras pessoas, dos seus clientes… literalmente! Vivencie a rotina do seu público-alvo por um dia. Por exemplo, se você quer vender um produto para pessoas que usam o transporte público, passe um dia andando de transporte público, observando e experimentando as dificuldades e facilidades de usar esse tipo de transporte. Entenda o que esse público realmente precisa e em qual contexto usaria o seu produto. Você também precisa conversar com o seu público-alvo e entender suas motivações. Observe como o seu público realiza as atividades cotidianas. Ao entender a lógica por trás da forma como as pessoas se comportam, você será capaz de criar melhores soluções para as necessidades delas. “Trate a vida como um experimento. Aprenda a observar e ouvir as outras pessoas sem julgar”, disse Kelley.

5. Teste as suas ideias
Depois de seguir os passos acima e ter uma ideia criativa, o que você faz? Teste a sua ideia! Agora! Se possível, em menos de uma hora. A ideia é fugir da auto-censura e obter um retorno rápido sobre a sua ideia. Se você sonha em criar um blog ou um canal no YouTube, por exemplo, sente agora, crie o primeiro conteúdo e coloque no ar. Veja como as pessoas reagem. E continue melhorando seu projeto a partir do retorno que receber. Pensou em criar um produto? Crie o primeiro protótipo da forma mais simples possível, com o que você tiver disponível. Mostre para um possível cliente. Veja como ele reage. Entenda se construir o que você pensou é viável. Aprenda com o retorno das outras pessoas e eventuais falhas. Kelley diz que as pessoas que consideramos incríveis e geniais em algo não são necessariamente melhores do que nós. Elas apenas tentaram mais vezes. O dado é científico. O psicólogo americano Dean Simonton estudou grandes nomes como Picasso, Einstein, Beethoven e Shakespeare e identificou que apesar de todos terem obtido reconhecimento, cada um produziu centenas de trabalhos na sua área até algumas obras tornarem-se especialmente bem-sucedidas. Eles passaram anos criando obras que passaram despercebidas até serem reconhecidos. Uma das melhores formas de aprender, segundo Kelley, é tentando e falhando.

Fonte: http://LInk Estadao.com.br