5 segredos que podem transformar seu negócio em um alvo atrativo para possíveis compradores!

279

Quando comecei a Samba Mobile, na época ainda com joguinhos pra celular, ninguém falava de Startups e empreender não estava na moda. Naquele momento, comecei a empresa basicamente porque vi uma oportunidade de vender jogos através das operadoras de celular.

Alguns anos depois montamos a Samba Tech com o objetivo de ser o Youtube para quem não quisesse ou pudesse usar o Youtube como plataforma de vídeos. Recebemos uma primeira rodada de investimentos da Fir Capital e, naquele momento, como mágica (rs), nos transformamos numa Startup. Como CEO com formação em Marketing, tive que contratar um time inteiro de tecnologia e produto. Começamos a montar uma empresa nos moldes das americanas: escritório legal, gente jovem mas com muita vontade, roupas descoladas e vídeo game.

Na medida que o tempo passava começavam a surgir os casos de sucesso do mundo digital. Buscapé e Sacks com saídas de mais de 200 milhões, e empresas incríveis como Netshoes, Dafiti, Wine, Hotel Urbano, Viva Real, EasyTaxi levantando milhões de reais de investimento. O ambiente do Vale do Silício começava a nascer no Brasil e junto com ele o sentimento de que era possível criar um negócio que pudesse ser vendido por milhões em poucos anos.

Uma vez me disseram: vista bem a noiva para achar alguém bom pra casar.

Era um recado de que deveríamos criar uma empresa com o objetivo de sermos vendidos em breve. Algo que tentamos fazer por alguns anos após o investimento, sem sucesso.

Depois de muito refletir, cheguei a conclusão de que quem cria uma empresa para ser vendida pensa no curto prazo e não se preocupa com cultura interna, processos inteligentes e governança. Quer crescer a todo custo o mais rápido possível para que possa achar um comprador rápido, que possa assumir o negócio dali pra frente em troca de milhões de reais.

Mas, depois de ver vários casos de insucesso baseados nessa estratégia, passei a acreditar que o melhor caminho seria o inverso. Para se ter uma startup atrativa para possíveis compradores (se for o seu objetivo), é preciso criar um negócio que consiga se perpetuar no longo prazo. Para isso é fundamental investir em:

1.Cultura e Propósito: Uma empresa com cultura forte geralmente tem um propósito de transformação. A cultura interna além de ajudar na manutenção dos valores, mesmo com o crescimento do negócio, também ajuda a atrair e reter talentos, vide Rock Content, Samba Tech, Conta Azul, Meliuz, Sympla, Resultados Digitais entre tantas outras que valorizam suas raízes.

2.Pessoas: As pessoas mais geniais que já conheci não trabalham só por dinheiro. Numa conversa que tive com o meu amigo Tallis Gomes há alguns anos perguntei sobre como a EasyTaxi conseguia atrair pessoas tão qualificadas vindas de grandes empresas como McKinsey. A resposta dele foi, por um sonho. Pessoas talentosas querem participar de algo maior, em que possam ver que estão contribuindo com o crescimento da Startup. Por isso a cultura e propósito são tão importantes na hora de atrair e reter pessoas. Caso contrário, será quase impossível retirar alguém de uma grande empresa pagando um salário maior, com benefícios maiores. Na Samba existe uma regra em que nunca contratamos pessoas ganhando mais do que elas ganham hoje. Mesmo que, depois de contratado, o funcionário possa ganhar mais, num primeiro momento queremos pessoas compromissadas com o nosso objetivo maior.

3.Governança: Um dos benefícios que a maioria das startups investidas por fundos Venture Capital tem é a criação de regras que dão transparência à gestão e ajudam na governança corporativa. O sentimento de dono é importante, mas é preciso ter limites. A Governança ajuda a criar esses limites, pois tiram determinadas decisões da mão dos executivos e as coloca nas mãos de um conselho de administração. Empresas auditadas, com baixo passivo trabalhista, e regras claras de governança tentem a ter mais valor na hora de serem vendidas.

4.Endosso e Reputação: Os concorrentes vão sempre utilizar a técnica de MID (Medo, Incerteza e Dúvida) para tentar tirar a credibilidade de uma startup. Empresas novatas podem criar uma marca forte no mercado utilizando de (1) Endosso (quem já comprou de você) e (2) Reputação (o que os outros falam sobre sua empresa): (1) Se você consegue clientes de peso, mesmo que num primeiro momento trabalhando quase que de graça, poderá ter o endosso de grandes marcas. (2) Investimento de Relações Publicas, por exemplo, pode lhe ajudar a conseguir reputação no mercado, além, claro, dos seus próprios clientes, que podem recomendar seus serviços para outros.

5.Vínculos Estruturais e Emocionais: Uma empresa também não consegue se perpetuar sem clientes. Por isso, crie vínculos Estruturais (através de produtos incríveis e estáveis), e Emocionais (através de relacionamento). Na Samba temos uma área de Sucesso do Cliente responsável por ajudar os clientes a alcançarem seus objetivos através do uso de nossas ferramentas. Veja aqui alguns casos legais.Todas essas estratégias acima são de médio a longo prazo e só empresas comprometidas com seu futuro vão apostar nelas.

Vários jovens empreendedores sonham em vender seu negócio, o que não é errado. Porém, lembre-se que se você construir uma empresa para ser vendida, possivelmente ela não será!

***

POR: *Gustavo Caetano é CEO da Samba Tech, empresa líder em soluções de vídeos online na América Latina.