5 cuidados ao fazer seu pitch

431

Chegou o grande dia. Você vai subir a um palco e apresentar seu negócio para algumas – ou muitas! – pessoas. Bateu aquela ansiedade? Está suando frio e tem medo de gaguejar? Vamos lá, acalme-se. Respire fundo. Com alguns cuidados básicos, seu pitch poderá ser muito bom. E tenha a certeza de que se apresentar bem será um diferencial numa competição, por exemplo. Digo isso porque recentemente fui jurada de um concurso de pitches. Eu conhecia uma parte das empresas, especialmente as que já estão no mercado há mais tempo, e pude perceber como algumas se destacaram mais pela apresentação do que pela viabilidade do negócio.

Depois das apresentações, bati um bom papo com um dos empreendedores, que ainda estava nervoso por causa do pitch. “Foi a primeira vez que fiz isso”, ele me disse. Da conversa com ele, acabei pensando no tema para esta coluna. Como já vi centenas de pitches, tanto ao vivo quanto em vídeo, decidi listar alguns cuidados que podem ajudar os empreendedores a se preparar para uma apresentação assim.

Estruture um roteiro do que você vai falar
Essa dica é bem de experiência própria. Costumo fazer um roteiro com os textos que vou escrever e imagino que este recurso também seja útil para uma apresentação, especialmente quando ela é cronometrada. O que é essencial falar sobre o seu negócio? Faça uma listinha. O passo seguinte é montar a ordem da fala. Como já comentei na coluna sobre o que fazer quando você tem uma ideia (LINK), é preciso responder a três perguntas fundamentais. Elas também valem para o pitch, especialmente se você estiver se apresentando a um investidor. Qual problema sua ideia resolve? Qual é o seu público? Como serão geradas as receitas? Inclua as respostas para essas perguntas no seu roteiro.

Quem vai assistir à apresentação?
É pra lá de importante saber quem vai ver o seu pitch. São investidores? É um público que não sabe nada sobre o seu negócio? São jornalistas? É um corpo de jurados misto que vai classificá-lo para um prêmio ou uma competição? Sabendo qual é o público, pense no tipo de palavras que você pode usar, no grau de complexidade da sua explicação, no nível de didatismo necessário, nas informações que não podem faltar. Se seu negócio é mais desconhecido do público geral, use contextos, números. Dedique alguns segundos para situar o público. Do contrário, as pessoas já ficarão em dúvida logo no começo.
Vai falar com investidores? Deixe claro em que ponto o seu negócio está, como você pretende usar o dinheiro do investimento, quem é o time da startup e a qualificação que vocês têm para o negócio. O investidor precisa sentir confiança no que você está falando.
O público é formado por jornalistas? Mostre que você conhece o mercado, sabe quais são seus concorrentes diretos e indiretos e como você vai ganhar dinheiro. Já faturou algum prêmio? Não deixe de contar!

Quanto tempo você tem para se apresentar?
O tempo de um pitch varia muito de um lugar para outro, principalmente de acordo com a quantidade de startups que vão se apresentar. Por isso, é fundamental estar preparado e usar todo o tempo disponível. Não deixe tempo sobrando. Você tem um microfone aberto para falar do seu negócio. Aproveite a oportunidade!
Para se preparar, o ideal é ter um pitch principal, uma espécie de modelo ideal. Pense em algo como cinco minutos. Pode parecer pouco, mas é um tempo razoável para você apresentar seu negócio. É bacana também fazer um pitch deck (uma apresentação de slides) que sirva de baliza para a sua fala. Depois, adapte a apresentação para o tempo determinado. É de apenas um minuto? Restrinja-se ao essencial e – de novo! – use todo o tempo. Quanto mais ensaiado você estiver, mais confiante vai se sentir ao fazer a apresentação.

Esqueça o blá-blá-blá
Cada segundo é importante e pode fazer diferença no final – especialmente se você estiver atrasado no que precisa falar. Não é necessário gastar parte do seu tempo agradecendo todo mundo e dizendo o quanto é importante estar ali. Vá direto ao assunto.

Apresente-se
Ao começar um pitch, diga quem você é. Bastam seu nome e o da sua empresa. Em seguida, direto ao ponto. O que sua empresa faz? Procure resumir em uma frase, da forma mais simples possível, incluindo o que destaca o seu negócio dos outros e dos concorrentes. Seu negócio é um supermercado virtual que entrega no mesmo dia? Um aplicativo de relacionamentos em que você escolhe se está interessado ou não na pessoa arrastando a foto para a esquerda ou para a direita? Um marketplace de trabalhos de artistas dividido por tipo de arte? Qualquer que seja seu negócio, procure falar sobre ele de uma forma que até sua avó consiga entender – e não digo isso de forma pejorativa, mas no sentido didático mesmo.

Espero que as dicas sejam úteis para o seu próximo pitch ou apresentação. Boa sorte!

pitch

COMPARTILHAR